top of page

Seapac participa de Oficina de Qualidade das Implementações do P1MC

Atualizado: 4 de mar.

Realizado entre os dias 27 e 29, o encontro reuniu diversas entidades implementadoras de cisternas para debater e partilhar conhecimentos sobre a tecnologia social


Hecléia Machado | Assessoria De Comunicação - SEAPAC

Natal | Rio Grande do Norte


Entre os dias 27 e 29 de fevereiro, a Articulação do Semiárido (ASA) promoveu a Oficina de Qualidade das Implementações, reunindo representantes de entidades de Alagoas, Pernambuco, Paraíba e Rio Grande do Norte em Caruaru, Pernambuco. Essas entidades desempenham papel fundamental na implementação do Programa Um Milhão de Cisternas (P1MC), que visa distribuir um milhão de cisternas de primeiro uso em áreas em situação de vulnerabilidade hídrica.


Durante a oficina, foram realizadas reuniões estratégicas, visitas às cisternas em funcionamento e discussões importantes sobre temas como a participação feminina na agricultura familiar e a dinâmica social entre os cisterneiros e as comunidades atendidas. Esses diálogos visaram aprimorar as práticas e promover uma implementação mais eficiente e inclusiva das cisternas.


Um dos pontos mais abordados durante a oficina foi a forma mais eficiente de implementar a tecnologia social tendo como referência o contrato estabelecido. Damião Santos, coordenador do projeto, ressalta que a experiência acumulada pelo Seapac após mais de 18.000 cisternas implementadas contribuiu significativamente para a conversa sobre aprimoramento das práticas. "O Seapac já trabalha respeitando todas as instruções normativas, contribuindo com o diálogo das tampas, bombas e construção de cisternas como uma referência", explicou.


Edson Justino, Animador de Campo do Seapac esteve presente em todos os dias da atividade, participando das oficinas e fomentando as discussões, e confirma que a troca com a equipe da ASA e cisterneiros de outras entidades foi extremamente enriquecedora. “Volto com muito conhecimento, uma nova visão sobre o trabalho com as mulheres e com  mais repertório para um verdadeiro diálogo sobre o gerenciamento de recursos hídricos”, conta Edson.


Sobre as Cisternas


As cisternas desempenham um papel crucial no Semiárido, garantindo um direito humano básico: o acesso à água. Em regiões frequentemente afetadas pela escassez hídrica, essas estruturas são essenciais para democratizar o acesso à água, proporcionando às comunidades uma fonte segura de água para consumo humano e atividades agrícolas.


Além de suprir as necessidades básicas de água, as cisternas também promovem a autonomia e a sustentabilidade das comunidades rurais. Ao possibilitar o armazenamento de água da chuva, essas estruturas reduzem a dependência das famílias em relação a fontes externas de água e contribuem para a conservação dos recursos hídricos locais.


Portanto, a realização da Oficina de Qualidade das Implementações foi um passo importante para fortalecer o Programa Um Milhão de Cisternas e garantir que as comunidades do semiárido e árido tenham acesso a essa tecnologia tão vital da forma mais eficiente possível. O intercâmbio de conhecimentos e experiências entre as entidades envolvidas promoveu melhorias significativas nas práticas de implementação, contribuindo para o alcance dos objetivos de desenvolvimento sustentável e para a melhoria da qualidade de vida das populações rurais da região.



 


29 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page