top of page

SEAPAC lança projeto integrando a agricultura familiar e o reúso de águas cinza no Seridó potiguar

O evento contará com a participação do Bispo Diocesano de Caicó, famílias campesinas acompanhadas pelo Seapac, e outros agentes públicos do Seridó, região berço das ações da instituição.

Caio Barbosa - Assessoria de Comunicação do SEAPAC Caicó | Rio Grande do Norte


Na iminência de desafios climáticos e atento às advertências da ONU sobre um próximo ciclo de seca no nordeste brasileiro, o Serviço de Apoio aos Projetos Alternativos Comunitários (SEAPAC), traz à luz uma iniciativa inovadora. Na próxima sexta-feira, 17 de novembro, o cenário do Seridó Potiguar ganha novas cores com o lançamento do projeto "Semeando Esperança". A cerimônia de lançamento está marcada para às 9 horas no Centro Pastoral Dom Wagner em Caicó, no qual será apresentado o projeto que traz uma esperança que transcende os campos, desenhando um futuro mais resiliente para a região.


O novo projeto “Semeando Esperança” é uma experiência que entrelaça a inovação da tecnologia social do reúso de águas cinza à produção de plantas de forragem, guiada pelos princípios sólidos da agroecologia. Em um esforço ambicioso, a iniciativa visa fortalecer 30 unidades familiares que estimulem a agricultura familiar e a cadeia da bovinocultura leiteira no Seridó. O projeto é a continuação das ações já desenvolvidas nas regiões do Trairi e do Alto Oeste, locais que já receberam os sistemas de reúso de águas totais e cinza. O Sepac já implementou no Semiárido potiguar mais de 155 tecnologias sociais de reúso de águas.


O modelo de tecnologia social e a metodologia do projeto já foi testada e avaliada positivamente pelas famílias campesinas dos territórios do Alto Oeste, local que foi desenvolvido o primeiro projeto de produção de forragem por meio da disseminação e cultivo da palma forrageira, adensada, consorciada e irrigada com reuso de águas cinza.


O projeto será executado durante 24 meses (dois anos) nos municípios de Caicó, Cruzeta e Currais Novos, além de abranger sua disseminação para mais 11 municípios que compõem o Comitê Gestor da Bovinocultura Leiteira seridoense: Acari, Florânia, Jardim do Seridó, Jucurutu, Lagoa Nova, Parelhas, São João do Sabugi e Serra Negra do Norte.


O Seapac, atento a essa realidade, tem executado várias ações e projetos mitigadores dos efeitos das mudanças climáticas e propulsores da convivência digna no Semiárido potiguar. A estratégia do Seapac combina, basicamente, o uso de tecnologias sociais com a produção de base agroecológica, passando pelo processo educativo, o exercício da cidadania ativa e a defesa e garantia de direitos humanos e sociais.


Há 30 anos o Seapac vem semeando esperança nas regiões do Semiárido potiguar, já foram construídas mais de 20.500 tecnologias sociais transformando a vida de mais de 75 mil pessoas nos 167 municípios do Rio Grande do Norte. O grupo prioritário dessas ações são agricultores familiares, rede de organizações da sociedade civil, movimentos populares e associações rurais.

44 visualizações0 comentário
bottom of page