top of page

Reuso de Águas: uma estratégia para garantir o direito à água no semiárido potiguar

O Seapac recebeu o Deputado Estadual Francisco em sua sede, para juntos debaterem estratégias e ações em torno do direito ao saneamento básico rural e a segurança hídrica para os territórios potiguares.

Caio Barbosa - Assessoria de Comunicação do SEAPAC Natal | Rio Grande do Norte

Falar sobre sistemas de reuso de águas é falar sobre segurança hídrica, segurança alimentar, sustentabilidade e agroecologia. Esses foram os temas debatidos em reunião realizada entre o Serviço de Apoio aos Projetos Alternativos Comunitários - SEAPAC em conjunto com o Deputado Estadual Francisco, na manhã desta quinta-feira (5), na sede estadual da Instituição no bairro da Candelária em Natal.


A região do semiárido brasileiro é historicamente afetada pela seca e pela escassez de água, e a situação pode variar de acordo com os anos e as condições climáticas específicas. O semiárido potiguar é uma região caracterizada por condições climáticas adversas, que contribuem para a ocorrência de secas, as chuvas irregulares é o principal fator para esse problema. O semiárido recebe menos precipitação pluviométrica do que outras regiões e, muitas vezes, essa chuva é altamente variável em quantidade e distribuição ao longo do ano. As temperaturas muito altas e taxas de evaporação elevadas devido à exposição ao sol constante também é um fator que agrava esse quadro na região, e as mudanças climáticas globais já estão exacerbando os problemas no semiárido, como secas prolongadas e a diminuição da disponibilidade de água subterrânea.


Esses fatores combinados tornam o semiárido uma região propícia à seca, exigindo estratégias de adaptação e resiliência para enfrentar esses desafios. A gestão sustentável dos recursos hídricos e naturais, a diversificação das fontes de subsistência e o desenvolvimento de práticas agrícolas baseadas nos princípios da agroecologia, são algumas das abordagens necessárias para mitigar os impactos da seca e da escassez de água nesta região.

O Seapac ao longo da sua história desenvolve seus projetos e ações que ajudam a contribuir para uma melhor convivência com o Semiárido Potiguar. E por isso, a reunião realizada em conjunto com o Deputado Francisco foi de extrema importância para que fosse apresentada uma proposta inicial de parceria para a implementação de tecnologias sociais de reuso de águas. O Seapac já implementou mais de 20.500 tecnologias transformando a vida de mais de 75 mil pessoas, cerca de 3% de toda a população do Rio Grande do Norte.


Tecnologias sociais de reuso de águas

Neste cenário desafiador, as Tecnologias Sociais, são inovações que trazem esperança para as comunidades rurais do Semiárido Potiguar. Uma delas é o reuso de águas cinzas e totais, uma abordagem revolucionária para maximizar o uso da água disponível nas unidades de produção familiar (UPFs). Águas cinzas são aquelas provenientes de atividades domésticas, como banho e lavagem de roupas, que podem ser tratadas e reutilizadas para fins não potáveis, como irrigação de culturas agrícolas. Águas totais, por sua vez, englobam todas as fontes de água disponíveis, incluindo as cinzas e a água da chuva. Ao tratar e reutilizar essas águas de forma eficiente, as comunidades podem garantir o abastecimento de água para a agricultura e outros usos, mesmo em tempos de escassez, tornando o território familiar um lugar de "rio perene".

O semiárido, historicamente vulnerável, encontra na reutilização de água uma estratégia para enfrentar a incerteza climática e fortalecer sua resiliência. Com base em dados do Instituto de Gestão das Águas do Estado do Rio Grande do Norte (IGARN), a região do Seridó pode enfrentar uma grave crise hídrica já em 2024. O órgão estadual aponta que é a região onde tem mais reservatórios secos ou com pouco volume de água (Itans/Caicó – 2,03; Passagem das Traíras/Jardim do Seridó – seco; Currais Novos – seco; Caldeirão/Parelhas – 1,82; Boqueirão/Parelhas – 9,25).


Esse cenário é alarmante, e pensando em ações para mitigar estes efeitos, o Seapac que vem há mais de 30 anos atuando nas regiões do semiárido potiguar, apresentou ao deputado Francisco um programa de trabalho com foco na implementação do reuso de água e integrado ao saneamento rural que possibilita a produção de quintais produtivos agroecológicos, para o desenvolvimento e fortalecimento da bovinocultura leiteira no Seridó, ampliando a produção de forragem por meio da disseminação e cultivo da palma forrageira, adensada, consorciada e irrigada com reuso de águas cinza.


Transformando comunidades: direito ao saneamento rural e a segurança hídrica

O projeto “Semeando Esperança” é uma proposta do Seapac desenvolvida na região do Alto Oeste entre 2019 a 2021 e que será executado agora no Seridó. O projeto faz a integração do saneamento básico com o sistema de reuso de águas cinzas que fomentam a cadeia produtiva para palma forrageira em consórcio com outras espécies nativas da região (gliricidia, margaridão, leucena). O Seapac já implementou mais de 144 sistemas de reuso de águas que beneficiaram diretamente mais de 570 pessoas em 19 municípios do Rio Grande do Norte.

A tecnologia social de reuso de água oferece uma luz no fim do túnel para as famílias do semiárido potiguar. Além de garantir o acesso à água, o sistema de reuso de águas também ajuda a reduzir o desperdício de recursos hídricos, algo crucial em áreas rurais onde cada gota de água conta. Isso é possível pois existe uma integração do sistema de reuso ao saneamento básico na UPF, permitindo o tratamento adequado de esgoto, que protege o meio ambiente e previne a contaminação de fontes de água utilizadas para consumo.


O saneamento básico rural está ligado diretamente à saúde das famílias rurais, à qualidade de vida e à preservação do meio ambiente. Melhorar o acesso à água potável e implementar sistemas de reuso de águas são componentes fundamentais do saneamento rural, uma vez que ajudam a prevenir doenças, reduzir a escassez de água e promover uma vida mais saudável e sustentável para as comunidades que convivem com o semiárido potiguar.


A reunião entre o Seapac e o mandato do Deputado Francisco teve essa abordagem temática que é essencial na luta contra as mudanças climáticas e a mitigação dos efeitos do aquecimento global. E também reafirmou os laços de confiança entre as partes para seguirem no desenvolvimento de mais ações conjuntas em favorecimento das comunidades camponesas do Rio Grande do Norte.


70 visualizações0 comentário

Comentarios


bottom of page