ONU pede investigação sobre mortes de ativistas do MAB


Dilma, Claudionor e Hilton Lopes foram mortos no último dia 22 em um assentamento na área rural de Baião, no Pará. (MAB Minas/Divulgação)

O Escritório para América do Sul do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH) divulgou comunicado em que pede investigações sobre os assassinatos dos brasileiros Dilma Ferreira da Silva, de seu marido Claudionor Amaro Costa da Silva e de Hilton Lopes. Os três pertenciam ao Movimento dos Atingidos por Barragem (MAB) no Pará. Defensora de direitos humanos e coordenadora regional do movimento, Dilma, Claudionor e Hilton Lopes foram mortos no último dia 22, em um assentamento na área rural de Baião, no Pará. Os investigadores trabalham para descobrir o que motivou o crime.


“O ACNUDH insta as autoridades brasileiras a conduzir uma investigação completa, independente e imparcial sobre esses assassinatos e que se responsabilize os autores do crime”, diz o comunicado oficial. No texto, o escritório alerta que os defensores de direitos humanos no país devem ser protegidos para cumprir com seu papel fundamental na sociedade, sobretudo, na defesa dos direitos das populações mais vulneráveis.


Em nota, o MAB reagiu no dia do assassinato. "O assassinato da nossa Dilma é mais um momento triste para a história dos atingidos por barragens, que hoje celebravam o Dia Internacional da Água. Exigimos das autoridades a apuração rápida deste crime e medidas de segurança para os atingidos por barragens em todo o Brasil".

Fonte: Agência Estado / www.domtotal.com

6 visualizações
  • Branco Facebook Ícone
  • Branca ícone do YouTube
  • Branca Ícone Instagram
  • Branca Ícone SoundCloud

Contato

Telefone: (84) 3211-4491

E-mail: seapac.estadual@seapac.org.br

Endereço

Cep: 59065-290

Rua Trajano Murta, 3317 – Candelária, Natal-RN

Links Rápidos

©2018 por S.talk. Todos os direitos reservados SEAPAC-RN