O Seapac realizou atividades de capacitação e gerenciamento de recursos hídricos no Seridó

Atualizado: 21 de set.

As famílias da região que têm direito à implementação das cisternas, tiveram dois dias de encontro comunitário para receber informações técnicas de como melhorar o uso da água que será armazenada.


Todas as 40 famílias que participaram das atividades de capacitação e gerenciamento de recursos hídricos receberam seu certificado. (FOTO: Damião Santos/SEAPAC)

CAIO BARBOSA | ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO - SEAPAC

Parelhas | Rio Grande do Norte


Durante os dias 15 e 16 de setembro o Serviço de Apoio aos Projetos Alternativos Comunitários (SEAPAC) realizou em conjunto com 40 famílias dos municípios de Parelhas e Equador, atividades sobre gerenciamento e o uso de águas armazenadas em cisternas. As atividades do projeto fazem parte do programa "Um Milhão de Cisternas, o P1MC", uma ação que tem o intuito de melhorar a vida das famílias que vivem no semiárido, garantindo o acesso à água de qualidade. O projeto é um convênio de parceria entre a Secretaria do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos do Rio Grande do Norte (SEMARH) e o Seapac, com o objetivo de implementar as cisternas de primeira água, que serve para o consumo humano (beber e cozinhar).


As atividades aconteceram simultaneamente nos dois municípios, cada um com 20 famílias, que conquistaram o direito ao acesso à água e ao saneamento básico rural. Cada família atendida pelo projeto, recebeu orientações de como será a implementação das cisternas em cada casa, além de informações técnicas sobre o uso e cuidados que devem ter para melhor aproveitar essa tecnologia social.

Francisco Teixeira, coordenador do Seapac durante a abertura das atividades em Parelhas (RN). (FOTO: Caio Barbosa/SEAPAC)

Durante a abertura das atividades em Parelhas, Francisco Teixeira, coordenador estadual do Seapac explicou para as famílias locais a importância do projeto e da participação comunitária na luta por este direito ao saneamento básico rural, além de reforçar a importância do controle comunitário do projeto. Segundo ele, o projeto não é uma doação partidária ou esmola, e sim, uma conquista de direitos sociais. Esse projeto é uma reivindicação das 20 famílias locais que estiveram organizadas e mobilizadas ao longo dos anos para acessar esta política pública - um direito conquistado pelas famílias camponesas com apoio de emenda parlamentar.


No município de Equador as 20 famílias também têm o seu histórico de mobilização e participação comunitária na luta por acesso ao direito do saneamento básico rural e da sua segurança hídrica. As atividades de capacitação e orientações sobre as cisternas e o reuso da água, foram facilitadas pela equipe técnica do Seapac na região. Damião Santos do Seapac apresentou informações importantes tanto do processo de construção da cisterna, como também falou sobre a participação comunitária local, além de detalhar todas as etapas do projeto, desde a ida dos pedreiros e técnicos durante a construção das cisterna até informar que cada família receberá um filtro de barro e ajuda de custo para a cesta básica.



A equipe do Seapac apresentou informações técnicas e explicou todas as etapas da implementação das cisternas em Equador (RN). (FOTO: Caio Barbosa/SEAPAC)

Mais de 1000 cisternas construídas no Seridó

O Seapac ao longo deste 29 anos de atuação no Rio Grande do Norte já ajudou a transformar a vida de inúmeras famílias camponesas, levando por meio das suas ações, uma mensagem de esperança para as comunidades do semiárido potiguar. Já são mais de 1000 cisternas implantadas nas casas rurais e também em escolas dos municípios de Parelhas e Equador.


O atual projeto (convênio 04/2022) firmado com a SEMARH para a construção dessa tecnologia social do P1MC, possibilita inúmeros avanços não só para as famílias, mas para as comunidades rurais como um todo. A água potável é um direito de todos os cidadãos e cidadãs e essas ações ajudam a construir uma nova história no semiárido.

23 visualizações0 comentário