Incêndio atinge área de proteção ambiental de Alter do Chão


A polícia investiga origem criminosa do fogo, que teria sido ateado por uma pessoa da comunidade Ponta de Pedras, dentro da Apa de Alter de Chão, área de proteção ambiental já invadida (Foto: Eugênio Scanavino)

Um incêndio de grandes proporções começou no último sábado (14) e se alastrou para uma área de proteção ambiental em Alter do Chão, na região de Santarém, no Pará. O governo do estado chegou a anunciar que as chamas estavam controladas, mas o fogo se intensificou nesta segunda-feira (16), segundo informações das brigadas de incêndio. Um novo foco foi identificado em uma ilha de difícil acesso, próximo a Ponta de Pedras.


Os bombeiros continuam as operações de combate ao fogo. No fim da noite de ontem, o governador do Pará, Helder Barbalho (MDB), informou via Twitter ter solicitado reforço da Força Nacional e o envio de um avião-pipa para locais de difícil acesso. O fogo também atingiu uma área de mata perto da margem do rio Tapajós. Segundo o governo do estado, a previsão é que na desta de hoje chegue o avião-pipa e 40 militares do Exército que deverão ajudar no combate às chamas.


A polícia investiga a origem criminosa do fogo, que teria sido ateado por uma pessoa da comunidade Ponta de Pedras, dentro da Apa de Alter de Chão, área de proteção ambiental já invadida. O inquérito foi aberto após solicitação do governo do estado paraense. Alter Chão é uma vila balneária distante 37 quilômetros por via terrestre de Santarém, oeste do Pará, e a 1.373 quilômetros da capital do estado, Belém. O balneário, cortado pelo rio Tapajós, é o principal ponto turístico da região, conhecido como Caribe da Amazônia.

Fonte: www.redebrasilatual.com.br

0 visualização
  • Branco Facebook Ícone
  • Branca ícone do YouTube
  • Branca Ícone Instagram
  • Branca Ícone SoundCloud

Contato

Telefone: (84) 3211-4491

E-mail: seapac.estadual@seapac.org.br

Endereço

Cep: 59065-290

Rua Trajano Murta, 3317 – Candelária, Natal-RN

Links Rápidos

©2018 por S.talk. Todos os direitos reservados SEAPAC-RN