Feijão carioca chega nas prateleiras na versão 'geneticamente modificada'


Feijão carioquinha (Foto: Wikimedia Commons)

Além da soja, milho e algodão, os campos brasileiros terão outro cultivo transgênico: o feijão carioquinha, que está entre os mais consumidos no país. A tecnologia, desenvolvida ao longo de 15 anos pela Embrapa, com investimento de R$ 3,5 milhões, foi liberada para multiplicação no semestre passado e deverá chegar nas prateleiras dos supermercados no final de 2019, que já desponta como o ano em que as porteiras para o agrotóxico foi escancarada pelo governo federal.


"O feijão será o primeiro produto transgênico que poderá ser consumido diretamente", comenta Ana Cláudia Silva, doutora em Agricultura e Assessora Técnica do Programa Sementes do Semiárido, da ASA. "Os outros produtos [transgênicos] eram utilizados no processo de industrialização, como a soja, o milho e o algodão", acrescenta ela.


E o que isto representa para a saúde de milhares de brasileiros? Segundo Ana Cláudia, o feijão transgênico foi avaliado pela Comissão Técnica Nacional de Biosseguração, a CNTBio, e não foi apontada diferença entre o feijão geneticamente modificado e o convencional. "Talvez, as consequências só serão sentidas daqui há um tempo, uma vez que é provável que não se tenha efeitos agudos referentes ao consumo, mas crônicos", diz ela. Por crônicos, leia-se: desenvolvimento de doenças como câncer, má formações genéticas, depressão...

Matéria completa: https://www.asabrasil.org.br/noticias?artigo_id=10933

0 visualização
  • Branco Facebook Ícone
  • Branca ícone do YouTube
  • Branca Ícone Instagram
  • Branca Ícone SoundCloud

Contato

Telefone: (84) 3211-4491

E-mail: seapac.estadual@seapac.org.br

Endereço

Cep: 59065-290

Rua Trajano Murta, 3317 – Candelária, Natal-RN

Links Rápidos

©2018 por S.talk. Todos os direitos reservados SEAPAC-RN