BRUMADINHO: SEIS MESES DE UM CRIME SEM REPARAÇÃO


Trem da Vale (Foto: Pedro Stropasolas)

Cerca de 944 mil pessoas foram atingidas pelo crime ambiental provocado pelo rompimento da Barragem I da mina Córrego do Feijão, em Brumadinho, Minas Gerais. “Passados 180 dias do rompimento, as 944 mil pessoas atingidas, em diferentes níveis de intensidade, tentam retomar suas vidas. Elas moram nos 18 municípios cortados pelo rio Paraopeba, por onde a lama correu 305 km até o município de Felixlândia (MG)”. É o que denuncia uma reportagem feita por Pedro Stropasolas, publicada no site do Brasil de Fato (www.brasildefato.com.br).


A vida daquelas pessoas depois do crime ambiental não é mais a mesma. Só não pararam as atividades da empresa, que continua extraindo o minério. Na cabeça da matéria está escrita esta frase da mãe Andreza, que perdeu o filho: “O zelo pela vida não faz parte da mineração. Onde tem a mineração só sobrevive ela mesma”.

Leia a reportagem: https://www.brasildefato.com.br/2019/07/25/brumadinho-seis-meses-de-um-crime-sem-reparacao/

3 visualizações
  • Branco Facebook Ícone
  • Branca ícone do YouTube
  • Branca Ícone Instagram
  • Branca Ícone SoundCloud

Contato

Telefone: (84) 3211-4491

E-mail: seapac.estadual@seapac.org.br

Endereço

Cep: 59065-290

Rua Trajano Murta, 3317 – Candelária, Natal-RN

Links Rápidos

©2018 por S.talk. Todos os direitos reservados SEAPAC-RN