A fome nas cidades pode ser saciada com alimentos produzidos pelo campo durante a Pandemia


Agricultura familiar anuncia boa produção (Foto: Manuela Cavadas/Arquivo Asacom)

Enquanto as pessoas das cidades enfrentam o problema de escassez de recursos financeiros, com a perda de renda, provocada pela Pandemia do Coronavírus, reduzindo as atividades produtivas e empregatícias, no campo as pessoas vivem situação menos difícil. É que, com o bom período chuvoso, as famílias do campo produziram maior quantidade de alimentos. No Brasil, a agricultura familiar é responsável por até 70% dos alimentos que chegam às famílias brasileiras. O principal problema das famílias do campo, neste período de pandemia e de bom inverno, é fazer chegar às cidades o alimento produzido pelos agricultores.


Para o sociólogo Roberto Malvezzi, conhecido como Gogó, que atua na Comissão Pastoral da Terra (CPT) e no Conselho Pastoral dos Pescadores na região do São Francisco, "o interior brasileiro, sobretudo na região Semiárida brasileira, vive até alguma coisa mais confortável, vamos dizer assim, do que no meio urbano. Primeiro, porque as pessoas estão mais isoladas. Segundo, porque este ano é um ano bem chuvoso e as pessoas estão tendo água nas suas casas, as cisternas estão cheias, outros reservatórios estão cheios também. Há uma safra maior de alimentos, seja pela produção por captação da água de chuva, seja porque a própria agricultura mais campesina, de subsistência do feijão, do milho e também da mandioca, este ano está mais facilitada", comenta o sociólogo.


A abundância que vem do campo demonstra "que a agricultura tem capacidade de produzir e de ofertar a sua produção para alimentar os brasileiros e brasileiras mesmo que, de 2016 pra cá, haja tido cortes gigantescos nas políticas públicas de fortalecimento da agricultura familiar”, comenta Alexandre Pires, que representa a Articulação Semiárido (ASA). Ele se refere aos cortes dos programas de cisternas e de água para produção de alimentos, os programas PNAE, PAA, e em vários outras. Neste período de pandemia, a comercialização dos produtos do campo tem sido baixa e provoca duas consequências: poucos alimentos nas cidades e baixa renda no campo. Algo precisa ser feito pelos governos Federal, Estaduais e Municipais, para fazer chegar às cidades os alimentos que sobram no campo.

Fonte: https://www.asabrasil.org.br/

6 visualizações
  • Branco Facebook Ícone
  • Branca ícone do YouTube
  • Branca Ícone Instagram
  • Branca Ícone SoundCloud

Contato

Telefone: (84) 3211-4491

E-mail: seapac.estadual@seapac.org.br

Endereço

Cep: 59065-290

Rua Trajano Murta, 3317 – Candelária, Natal-RN

Links Rápidos

©2018 por S.talk. Todos os direitos reservados SEAPAC-RN