Brasil fica estagnado em ranking do Índice de Desenvolvimento Humano

Diretor-técnico do Dieese explica que falta de enfrentamento das desigualdades históricas se reflete na posição do país


Resultado mantém o Brasil na 79ª posição no ranking dos 189 países avaliados (Fofo: Fernando Frazão, EBC/Rreprodução)

São Paulo – Na análise do diretor-técnico do Dieese, Clemente Ganz Lúcio, o pequeno crescimento registrado em 2017 pelo Brasil, de 0,001, no Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), divulgado na sexta-feira, 14 de setembro, pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), é reflexo da situação socioeconômica que atravessa o país e da falta de enfrentamento das desigualdades históricas. O resultado registrado é no valor de 0,759 – a escala varia de 0 a 1, e quanto mais próximo do 1, maior o grau de desenvolvimento humano.


Esse índice mantém o Brasil na 79ª posição no ranking de 189 países. Para Clemente, isso evidencia uma “posição muito complicada” do ponto de vista de um projeto que busque garantir o desenvolvimento de forma sustentável, ambiental e humanamente mais justo. “Coloca o país muito distante daqueles que já alcançaram um padrão de desenvolvimento e não só de produção, mas de uma produção que tem um nível de igualdade que é muito diferente do observado no Brasil”, afirma o sociólogo.

Fonte: www.redebrasilatual.com.br

2 visualizações
  • Branco Facebook Ícone
  • Branca ícone do YouTube
  • Branca Ícone Instagram
  • Branca Ícone SoundCloud

Contato

Telefone: (84) 3211-4491

E-mail: seapac.estadual@seapac.org.br

Endereço

Cep: 59065-290

Rua Trajano Murta, 3317 – Candelária, Natal-RN

Links Rápidos

©2018 por S.talk. Todos os direitos reservados SEAPAC-RN